Os alunos do curso Técnico em Enfermagem do colégio Indyu realizaram na sexta-feira, 11 de novembro, o segundo seminário de ética ministrado pelos estudantes, cujo tema foi: “O aborto e seus impactos na saúde pública”.

A atividade aconteceu no auditório do colégio e mobilizou alunos e professores que estiveram presentes. Os alunos iniciaram a palestra falando sobre o contexto histórico do aborto no Brasil. De acordo com eles, o aborto foi regulamentado desde 1940, em casos de violência e estupro. Desde então, alguns acontecimentos isolados mudaram isso. Demorou muito de 1940 até 2013, ano em que a presidente Dilma sancionou a PL 3 que legaliza o aborto no Brasil.

“Este assunto nos acompanha em todo lugar, seja com um amigo ou pessoa mais próxima ou a própria mídia nos fazem refletir sobre o assunto. É algo que faz parte do nosso cotidiano e, por isso, temos que discutir”, afirmou a professora Maria da Salete, enfermeira e professora de Ética e Saúde.

O coordenador do curso técnico de enfermagem, José Aparecido Alves, afirmou que o impacto para saúde pública quanto ao poder de decisão da mulher gera um número alto que pode chegar a mais de 1 milhão de abortos realizados de forma irregular e que causam prejuízos e sequelas. “Quem pratica o aborto ilegal, geralmente são as mulheres mais carentes que não têm condições de arcar com tratamentos de alto custo, com remédios caros ou não conseguem apoio do próprio SUS. Assim, estas mulheres se submetem a abortos com condições insalubres e com total risco de vida, além de não ser legalizado”, finaliza José Alves.

Victor Araújo

Enviar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *